Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Os Zombos na Tradição, na Colónia e na Independência (33)

Publicado por Muana Damba activado 6 Febrero 2012, 04:52am

Etiquetas: #Fragmentos históricos do Uíge.

Por Dr José Carlos de Oliveira.


 

Esparsos Acerca da Guerra Colonial Entre os Zombo – Ana landa e Lau, Ngeye mpe kitukidi lau
 
O velho provérbio kongo ‘Ana landa e lau, ngeye mpe kitukidi lau’ que, traduzido livremente, será – Ao acompanhares um louco, também tu te tornas louco – reflecte bem, na nossa opinião, o fenómeno dos conflitos bélicos.
 
Alguns acontecimentos relevantes no período entre Dezembro de 1960 a 1964:

Dezembro, 15 de 1960 A XV Assembleia Geral da ONU aprova a Declaração sobre a Independência dos países e povos sob regime colonial, incluindo nesses os territórios portugueses “ditos províncias ultramarinas”, tendo havido abstenção dos E.U.A. e da “velha aliada” Grã‑Bretanha(…)

Dezembro, 31 de 1960 Factos a destacar ainda: – diversos jovens congoleses deslocados para o Norte de ANGOLA, organizaram uma rede clandestina para preparar a revolta geral; no ZAIRE surge um “Movimento” desses refugiados, designado “ALLIANCE DES RESSORTISSANTS DE ZOMBO (ALLIAZO)” com ligações a outros “Movimentos”; em CABINDA surgira a “Association des Ressortissants de L’ Encleve de Cabinda” e o “Movimento de Libertação do Enclave de Cabinda” (MLEC) de carácter moderado, desejando um “protectorado”; aparecimento do partido “Nto’BAKO” de tendências moderadas com a colaboração do Governo Português e adversário da UPA, sendo chefiado por Angelino Alberto e ainda o partido “M.D.I.A”, com as mesmas características e chefiado por JEAN PIERRE M’BALA, dissidente da UPA (…).”

Janeiro, 1961 Massacre na BAIXA DO CASSANJE contra os produtores de algodão que haviam declarado greve. Foram efectuados bombardeamentos aéreos. Os grevistas eram chefiados pelo angolano ANTÓNIO MARIANO, da “Guerra de Maria”, contra a COTONANG.
Fevereiro, 04 de 1961 Ataque dos “nacionalistas” angolanos (com alguns belgas) orientados pelo MPLA, às cadeias policiais do BAIRRO DE S. PAULO (Casa da Reclusão) ao Quartel da Companhia Móvel da Polícia e Emissora Oficial de ANGOLA, em LUANDA. Seguem‑se ataques aos Postos Policiais para libertação de alguns dirigentes e no Cemitério de LUANDA durante o funeral de algumas das vítimas. Era uma antecipação aos planos arquitectados pela UPA (para executar a partir do dia 20).
Nota: Hoje sabe‑se que a autoria dos ataques não foi do MPLA mas sim da UPA.

Fevereiro, 07 de 1961 Alteração da política dos Estados Unidos da América contra a situação das “províncias ultramarinas” portuguesas. (…)

Fevereiro, 28 de 1961 HOLDEN ROBERTO envia jovens congueses para provocarem revoltas em ANGOLA, onde existiam 10 mil militares e entre eles apenas 2 000 europeus enquanto a UPA tinha cerca de 400 mil Bacongos e 100 mil angolanos. (…)

14/15 Março 1961 A UPA inicia os seus ataques e massacres no norte de ANGOLA, com o apoio do CONGO (BELGA,) contra os brancos, seus serviçais e trabalhadores indígenas das fazendas, sob a orientação de HOLDEN ROBERTO e ainda com a ajuda dos Bakongos e dos americanos! Atacam os postos da guarda‑fiscal situados na fronteira de MAQUELA DO ZOMBO e S. SALVADOR DO CONGO, bem como as casas comerciais, fazendas e residências dos proprietários e dos empregados ao seu serviço, quer fossem brancos ou negros! Foram mortos 800 civis, na sua maioria mulheres e crianças! (…)

Março 1961 No prosseguimento desses ataques os “revoltados” da UPA mataram, só na zona Norte e por iniciativa própria, cerca de oito mil angolanos, incluindo muitos dos elementos afectos ao MPLA que tentaram passar do CONGO BELGA para ANGOLA! 2

Outubro 9 de 1961 As Igrejas protestantes norte‑americanas dava apoio à UPA (de HOLDEN). A missão de QUIBOCOLO, da Sociedade Missionária Baptista, foi encerrada, acusada de ter colaborado na rebelião de Março, não obstante os Zombo, não terem tomado parte. Foram expulsos os seus missionários, evacuada a população e destruída a Missão. O mesmo já tinha acontecido no BEMBE e noutros locais depois dos respectivos saques! 3
Nota: Para maior precisão os referidos postos da guarda‑fiscal assaltados ficavam fora da área dos zombo e dentro da área dos Axikongo4. Este pormenor revela as diferenças de interesses entre os dois sub‑grupos.

Telegrama cifrado, 16 de Março de 1961 do Governo‑geral da Província de Angola, para Governador de Carmona.5

“209 – Ref comunicação telefonica Vexa esta manhã e estranhando reduzido numero munições peço atenção Vexa confidencial de 28 de 9 Julho e telegrama 591 de 26 Agosto ambos ano passado. Seguem avião amanhã destinadas esse governo 100 espingardas e respectivas munições.
SECGERAL”

Telegrama cifrado, 13 de Outubro de 1962 do Governo‑geral da Província de Angola, para Governador de Carmona.

“Estando previsto regresso fronteira Quimbata cerca de 420 Tocos para Colonato Loge com duração máxima operação dois dias. Agradece‑se preparação operação recepção tendo atenção especialmente transporte, alimentação e alojamento colonato. Solicita‑se comunicação data em que operação poderá ter efeito. Há máxima urgencia interesse efectivação esse regresso rodeado melhores condições fim projecção internacional.”

Telegrama cifrado, 9 Maio de 1963 de SCCIA, Serviços de Centralização e Coordenação de Informações de Angola.

133/oper Encontram‑se Maquela Cinco Chefes Costumeiros pretendendo deslocar‑se Damba afim contactarem regressados PT exposto assunto SEXA Secretário Geral não concordou ida mesmos Damba nem permanencia Maquela SCCIA
Pelo Director do SCCIA
Eduardo Alberto Silva e Sousa
Major c/CEM”
                                                         
 

Archivos

Ultimos Posts