Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Gado bovino nas fazendas

Publicado por Muana Damba activado 20 Diciembre 2011, 16:00pm

Etiquetas: #Notícias do Uíge

 

 

 

Medidas anunciadas para o sector compreendem a construção de matadouro industrial

Fotografia: JA

 


O Executivo iniciou no fim-de-semana o processo de entrega de gado bovino, no quadro do repovoamento do planalto de Camabatela, que integra algumas áreas das províncias do Kwanza-Norte, Malange e Uíge.


O processo foi inaugurado com a entrega simbólica, pelo ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e Pescas, Afonso Pedro Canga, das primeiras 15 cabeças de gado a um criador do município de Ambaca (Kwanza-Norte) e da mesma quantidade a um outro da província do Uíge.


Afonso Pedro Canga anunciou que nesta primeira fase o Executivo vai entregar 1.500 cabeças de gado a criadores do planalto de Camabatela. Em declarações à imprensa, na vila de Cambatela, o ministro Pedro Canga acrescentou que o processo vai continuar com a aquisição e entrega gradual de outros animais aos criadores.


“Estamos a apoiar aqueles que estão interessados e em condições de se dedicarem à criação bovina”, disse o ministro, acrescentando que os criadores que receberem os animais devem devolver ao Estado parte dos resultados da sua reprodução.


Explicou que o beneficiário de 20 cabeças deve, depois de um certo tempo, devolver a mesma quantidade, para continuidade do processo de repovoação do gado no país. “A perspectiva é aumentarmos o efectivo bovino, para diminuirmos a importação de carne, que tem grande peso nas divisas do nosso país”, indicou. Outras províncias com condições para a criação de gado, como o Huambo, Benguela e Kwanza-Sul também vão receber gado. A meta, garantiu, é beneficiar todos os interessados na criação do gado, incluindo população camponesa.



Reforço da capacidade


Em relação ao planalto de Camabatela, o ministro garantiu apoios aos criadores com o reforço da capacidade do gabinete de desenvolvimento local nas áreas ligadas aos serviços de veterinária e técnica.


O gabinete vai recrutar médicos veterinários e adquirir equipamentos técnicos.No sábado, o ministro Pedro Canga inaugurou, no município de Ambaca, dois edifícios para o Gabinete de Desenvolvimento do Planalto de Camabatela e os Serviços de Veterinária.


O ministro revelou que está em curso o projecto de construção de um matadouro industrial em Camabatela. Para o efeito, precisou, já foram realizados os necessários procedimentos financeiros.
Neste momento, decorrem os trabalhos técnicos de preparação dos projectos arquitectónicos ao que se vão seguir, já no próximo ano, os trabalhos de edificação das infra-estruturas.


O administrador municipal de Ambaca, José Ranque Franque, saudou a iniciativa do Executivo de potenciar os criadores com animais, visto que essa medida pode contribuir para a criação de novos empregos e de riqueza: “ao potenciarmos os criadores estamos a contribuir para que eles criem riqueza e postos de trabalho”.

Aproveitamento das fazendas

O ministro Pedro Canga trabalhou também na província do Uíge, tendo visitado os municípios de Mucaba, Sanza Pombo, Negage e Damba. “Constatamos que há grande empenho e isso faz com que haja também boas perspectivas de produção das culturas agrárias, como a mandioca, banana, milho, feijão e outras propicias da região”, disse.


Pedro Canga anunciou que vai accionar medidas punitivas contra as pessoas que ocupam extensões consideráveis de terra, mas sem capacidade de as explorarem.


“Verificamos que existe muita gente não capacitada e sem vocação para o desenvolvimento da actividade agro-pecuária, mas que tem em sua posse fazendas”.


O Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas quer o cumprimento do estipulado na Lei de Terras, que obriga os detentores das fazendas a fazerem um aproveitamento útil das parcelas cedidas pelo Estado.


“Estamos já a tomar medidas”, sublinhou, acrescentando que “algumas concessões já foram anuladas” e vão seguir-se outras sanções, sobretudo nos municípios de Ambaca (Kwanza-Norte) e Negage (Uíge), onde existem boas condições para a criação de gado.

 

 

 

                                                                                                                  J.A

 




 

Archivos

Ultimos Posts