Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Escritor Fragata de Morais lança "Batuque Mukongo"

Publicado por Muana Damba activado 10 Marzo 2012, 03:28am

Etiquetas: #Cultura

 

 

Autor que tem poemas publicados em revistas e jornais holandeses e está incluído em duas antologias é uma referência da literatura

 

Fotografia: DR


“Batuque Mukongo” é o título do novo livro do escritor Fragata de Morais que é apresentado, hoje, às 18h00, na União dos Escritores Angolanos, por José Luís Mendonça.


“Batuque Mukongo”, que tem prefácio do apresentador, junta-se a outros títulos de Fragata de Morais, entre os quais se contam “Como Iam as Velhas Saber Disso”, “A Seiva”, “Inkuna Minha Terra”, “Jindunguices”, “Momentos de Ilusão”, “A Sonhar se Fez Verdade”, “Antologia Panorâmica de Textos Dramáticos”, “A Prece dos Mal Amados”; “Sumaúma”, “Memórias da Ilha-Crónicas” e “Fantástico na Prosa Angolana”. No livro, que já foi apresentado, em Janeiro, em Maputo, o seu autor traz a público memórias em forma de poesia.


Para o escritor José Luís Mendonça, “Batuque Mukongo” é a poesia épica, feita através da história de um país e também dentro de uma perspectiva pessoal do seu próprio autor.


O prefaciador do livro considera ainda que os poemas de “Batuque Mukongo” são uma fonte de inspiração para os jovens, de esperança para os descrentes e de homenagem a Angola, descrita por meio de uma análise profunda, feita por Fragata de Morais, através do tempo.


“Para ser luminosa, a poesia tem de vir à rua com um ritmo próprio, uma certa musicalidade intrínseca, como uma canção silenciosa que soa na alma do leitor, com uma cinestesia formal que faz do verso um edifício, uma paisagem, ou um animal colectivo se movendo entre nuvens de poeira sintagmática”, descreve José Luís Mendonça os poemas de “Batuque Mukongo”.


Fragata de Morais nasceu na província do Uíge. Os seus primeiros escritos aparecerem na década de 1960 em Paris, onde frequentou a Universidade Internacional do Teatro e trabalhou com André Louis Perinetti e Victor Garcia. É diplomata de carreira.


Contos e poemas de sua autoria foram publicados em revistas e jornais holandeses e estão incluídos em duas antologias, uma de escritores angolanos e outra de escritores de língua portuguesa.

Cronista do Jornal de Angola e membro da União dos Escritores Angolanos, foi vice-ministro da Educação e Cultura.

 

 

                                                                                                                J.A

 


Archivos

Ultimos Posts