Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Combate à pobreza no Uíge está a reduzir as assimetrias

Publicado por Muana Damba activado 18 Marzo 2012, 16:13pm

Etiquetas: #Notícias do Uíge

Por António Capitão | Uíge - Hoje


Fotografia: António Capitão

 


A secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais e coordenadora nacional do Programa de Combate à Pobreza avaliou, no Uíge, os níveis de execução dos projectos e a implantação do Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde.


Rosa Pacavira foi informada sobre a execução dos projectos nos sectores da educação, saúde, agricultura, habitação e da energia e água em curso nos municípios da província. A secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais disse, durante uma reunião com membros do Governo Provincial, que a sua visita ao Uíge, para além de servir de avaliação dos projectos e corrigir as debilidades verificadas na sua execução, foi aproveitada para identificar novos sectores prioritários para melhorar a vida da população.


Rosa Pacavira referiu que a construção de mais escolas, centros e postos de saúde e habitações sociais para a população e funcionários públicos está entre as principais prioridades do Executivo para o ano em curso. Esses projectos devem responder às necessidades do sistema de ensino e aprendizagem, melhorar a assistência sanitária às populações e realizar o sonho da casa própria para a juventude.


“Este ano pretendemos ter um programa mais efectivo para melhorarmos as condições de vida da população. Vamos construir mais escolas, porque ainda existem muitas crianças a estudarem em condições precárias e muitas estão fora do sistema normal de ensino.


Vamos mobilizar os empresários locais para darmos maior dinamismo a esse projecto e permitir que mais crianças estudem”, assegurou.


A secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais anunciou a construção, este ano, de mais postos e centros de saúde nas aldeias e comunas, e hospitais em várias sedes municipais.


 Rosa Pacavira disse que no sector da saúde vão ser reforçadas as medidas de fiscalização e controlo no fornecimento de medicamentos e outros equipamentos médicos.

 

 

A coordenadora do Programam de Combate à Pobreza informou que, por orientação do Chefe do Executivo, está em curso o processo de descentralização financeira para a execução do Programa Água para Todos, com vista a permitir que os municípios tenham mais recursos para financiarem projectos de construção de sistemas de captação, tratamento e distribuição de água, perfuração de poços e instalação de chafarizes e lavandarias nas comunidades. “Dos relatórios que nos são enviados, temos constatado que o fornecimento de água e energia eléctrica na província ainda constitui um grande problema.Vamos continuar a desenvolver várias acções nestes sectores, sobretudo o da água, para que o programa seja abrangente”, disse.

Fomento empresarial

Rosa Pacavira disse que para reforçar as acções de combate à pobreza, o Executivo está a criar “balcões do empreendedor”, para facilitar a criação e legalização das micro e pequenas empresas.


A secretária do Presidente da República e coordenadora do Programa de Combate à Pobreza disse que a medida visa estimular o espírito empreendedor dos angolanos, sobretudo da juventude. Para melhor combater a pobreza nas comunidades rurais, Rosa Pacavira afirmou que foi aberta uma linha de crédito para financiar os empreendedores, cujo montante varia entre os 150 mil e um milhão de kwanzas, com uma taxa de juros de cinco por cento, reembolsáveis em três anos.


Os pequenos empresários têm ainda um ano de graça, sem precisarem de depositar qualquer prestação do montante financiado. Neste período, os juros também não são contabilizados.“Existe muita população que sobrevive do mercado informal. É intenção do Executivo colocar estes cidadãos no mercado formal através da constituição e legalização de micro empresas e cedência de financiamentos para que exerçam a actividade comercial de forma legalizada, reduzindo a pobreza no seio familiar e nas comunidades”, referiu Rosa Pacavira.

 

 

 

                                                                                       J.A

 


Archivos

Ultimos Posts