Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Administração da Damba em 1945.

Publicado por Nkemo Sabay activado 7 Noviembre 2010, 03:26am

Etiquetas: #Fragmentos históricos da Damba

 

Por Dr MANUEL ALFREDO DE MORAIS MARTINS (Administrador da Damba de 1945 à 1953).

 

 

AAU02

                                           A vila da Damba e sua população no tempo colonial.

 

 

O conselho da Damba englobava quatro postos: Sede, 31 de Janeiro, Bungo e Camatambu.

O mais extenso e povoado era o da Sede, o mais pequeno e com menor densidade populacional era o de Camatambu.

Os mais ricos, por serem dotados de condicionalismos mesólogicos mais favoráveis, eram os da Sede e de 31 de Janeiro.

 

Posto Sede.

 

O posto Sede, como já foi dito em outro passo, era chefiado, em regime de inerência, pelo secretário da circunscrição.

A sua área distribuia-se pela zona planáltica, com altitude média de 1100 metros,e por zona de média altitude do Sobado do Huando de Baixo e em parte dos Pete e do Cusso-Madimba, englobando netes uma vasta planície que marginava os rios Luecas e Lefunde.

A população era constituida por gente dos grupos Bakongo, Bazombo e Bassosso, agrupadas em treze sobados, com total de cerca de 26 000 habitantes.

A Sede situava-se na Vila da Damba,de onde irradiavam de estradas que a ligavam, para Norte ao Conselho do Zombo,para o Oeste ao Concelho do Songo, e para Sudoeste aos Conselhos do Uíge e de Ambaca.Esta última passava pelos postos de 31 de Janeiro e do Bungo e, a dois quilómetros da Damba.nela nascia uma  outra que terminava no Posto de Camatambu. Mais adiante,a cerca de trinta quilómetros,nela entroncava também a picada que traversava a picada do Huando de Cima, do posto Sede,entrava depois na área de 31 de Janeiro e terminava na Kinzala, sede do Sobado de Kixiona, na Serra de Mucaba.

Como em outros espaços já se referiu,esto posto era o mais desenvolvido,tanto na actividade comercial com na agrícola, precisamente por nele se situar a sede da circunscrição e po nele coexistirem as melhores condições ambientais para a cafeicultura, no tocante a altitude, o clima e revestimento vegetal. A restante produção agrícola estava representada na mandioca, do amendoím e no feijão.

Em todas aldeias do posto como, aliás,nas de todos outros, havia numerosos caprinos,suinos e ovinos, e puplulavam os galináceos.

 

Posto de 31 de Janeiro.

 

Ocupava a parte central da área do Concelho,entre o rio Cuilo,que sevia de limites entre os concelhos da Damba e de Sanza Pombo, e a serra do Mucabano limite com o conselho do Songo. A Norte confrotava com o posto Sede e a Sul com o posto do Bungo.

A população era constituida por quase que exclusivamente de Bassossos, agrupadas em 15 sobados, com o total de cerca de 17 000 habitantes.

Os principais géneros cultivados eram mandiocas,o amendoim e o feijãotodos eles com produções que iam muito além dos que necessitavam para a alimentação, com o destaque o amendoim.

O café apenas na região do Mucaba tinha uma produção vultosa, mas em allguns outros sobados também existiam algumas outra plantações,em estreitas matas tipo galerias, marginando cursos de água. De referir que a maioria das plantações da gente do Mucaba se situava na vertente Oeste da serra e no seu sopé, já em território do Songo.

Mucaba era a região mais povoada e com maior produção de género comerciáveis,pelo que se justificou a criação da povoação comercial já antes referida,que foi como que o embrião do posto administrativo,que mais tarde veio a ser ali implantado,com a sede a beira da povoação do Kinzala, residência do Soba Kixiona.

O posto de 31 de Janeiro era o único, no concelho,que existia apreciável número de gado bovino, que todos de pertença do Soba Kaboco, cuja a povoação distava de treis quilómetros da sede do posto, na estrada para o Bungo. A área deste sobado era, em todo concelho, a única que possuia condições para a criação deste tipo de gado, não só pela qualidade de pasto, como pela ausencia da mosco tse-tsé, transmissora de tripanosomiase (doença do sono).

 

Posto do Bungo.

 

Situava-se no extremo Sul do concelho, confrontando com o Norte com o posto de 31 de Janeiro, a Sul com o Concelho do Negage, do Concelho da Ambaca, a Nascente com o Posto do Purí, do conselho do Pombo, e a Poente com os postos sedes dos concelhos do Uíge e do Songo.

A população era constituida pelos bassossos e bahungos, agrupada em 9 sobados com o total de cerca de 12 000 habitantes, cuja a actividade se centrava, como nos outros postos, na agricultura.

Na povoação do Bungo, durante muito tempo, apenas existiu um único estabelecimento comercial, filial de uma importante firma sediada no Negage. Mais tarde outars se constituiram, e em zona aplanada,já próxima da serra do Mucaba, veio a ser implantada importante fazenda da criação do gado bovino.Isto é após da minha saída da Damba.

 

Posto de Camatambo.

 

Era do menor área, menos povoado e o mais pobre.

A população era constituida por Bassossos e Bazombos, distribuidas em 4 sobados,num total de cerca de 4 500 habitantes.

Viviam do cultivo da mandioca,do feijão e do amendoim,cujos excedentes vendiam na única loja existente na sede do posto,filial de uma firma estabeleciada na Damba.

Por iniciativa do chefe do Posto,o estagiário, Mário Ferreira Gonçalves, foi ali criada uma oficina de carpintaria e de confecção de móveis de junco, que servia de escola para a preparação de artífices.

 

                                                                                 Em colaboração com JOÃO GARCIA.

 

 

Archivos

Ultimos Posts