Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


A trajectória do TOKOÍSMO (1)

Publicado por Muana Damba activado 3 Agosto 2012, 04:42am

Etiquetas: #Religião

 

Por Pastor Muanga Pedro e Pastor Vumambo João David

 

 

 

 

 

93 toco0

                                     O profeta Simão Gonçálvez Toko

 


 

 

FUNDAçÃO DO CORO KIBOKOLO COM 12 RAPAZES

 

Depois do Dirigente, senhor Simão Gonçalves Toco ter concluído em 1937 o antigo curso dos Liceus em Luanda no então Liceu Nacional Salvador Correia de Sá, regressou à Kibokolo, Maquela do Zombo em Fevereiro de 1937, onde exerce as  funções de professor na Sociedade Missionária Baptista (BMS) de Kibokolo.


Em Outubro de 1938, por conveniência de serviço é transferido como professor à Sociedade Missionária Baptista do Município do Bembe, onde permanece até 1942, ano em que regressa ao Município de Maquela do Zombo e parte em seguida para Matadi até Leopoldville onde, segundo o mandato divino, forma em 05 de Abril de 1943 o Coro Kibokolo composto inicialmente de 12 rapazes do qual posteriormente nasce a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo.

 

REALIZAçÂO DO CONGRESSO INTERNACIONAL MISSIONÁRIA PROTESTANTE

 

Realizou-se o Congresso Internacional Missionária Protestante em Julho de 1946, na qual fizeram parte o Reverendo Pastor Gaspar de Almeida, o Reverendo Pastor Jesse Chiula Chipenda e o Senhor Dirigente Simão Gonçalves Toco. Nessa conferência participaram povos de diversas raças e línguas de todo Mundo, muita coisa foi tratada sobre a educação geral dos Africanos, isto é, o aumento da civilização, a igualdade de oportunidades, etc, etc, e finalmente o aumento da luz do Evangelho de Cristo. Antes que a conferência terminasse, foram escolhidos na parte Angolana, três pessoas à fim de que dirigissem a oração à Deus, nomeadamente Reverendo Pastor Gaspar de Almeida, o Reverendo Pastor Jesse Chiula Chipenda e o Senhor Dirigente Simão Gonçalves Toco.

 

A primeira pessoa pediu à Deus o aumento da instrução, educação, progresso, etc; A segunda pediu na sua oração à Deus, a igualdade de oportunidade e a prospecção de dinheiro como o homem branco. A terceira, o Dirigente senhor Simão Gonçalves Toco foi aconselhado pelos Missionários Dr. Tucker da Missão do Dondi no Huambo, já falecido e o Dr. Breecheé da Missão Filafricana de Kalukembe que não pedisse muita coisa senão o Espírito Santo, a fim de que convertesse o povo Africano que se encontrava nas trevas do pecado, porque sem a força do Espírito santo África continuaria na mesma.

 

Este pedido do Espírito Santo não deveria ser feito por um estrangeiro, mas sim por um Africano escolhido precisamente pelos Missionários que trouxeram a palavra de Deus em África. Foi assim que o Dirigente senhor Simão Gonçalves Toco pediu à Deus na sua oração a força do Espírito Santo em África e o aumento da palavra de Deus.


Em 24 de Julho de 1949, o Dirigente reúne em Leopoldville, na rua de Mayenge, quintal nº. 159, à noite, 36 pessoas para perguntarem à Deus se tinha ouvido ou não a oração que Lhe tinha sido dirigido em 1946 no Congresso Internacional Missionário Protestante sobre o aumento da força do Espírito Santo aos Africanos.

A meia noite precisamente, ouviram um grande ruído e viram uma luz. Muitos começaram a tremer, outros a falar diversas línguas que outrora não conheciam e a ver coisas maravilhosas que nunca tinham visto: pegavam ferros em brasa, tições acesas e não se queimavam. Muitos possuídos pelo Espírito Santo, iam a correr em suas casas a busca de muitas variedades de feitiços e coisas de origem mágicas com que dominavam os outros, vendendo-os misteriosamente a outras terras ou com que matavam pessoas com vista a se enriquecerem, etc. Muitos segredos foram descobertos pela acção do Espírito Santo. Foi a partir dessa data em que a Igreja de Nosso senhor Jesus Cristo no Mundo foi relembrada.


        

EXPULSÃO DOS TOKOÍSTAS DA IGREJA PROTESTANTE



Os Missionários Protestantes (BMS) tendo visto o crescimento da palavra de Deus e ouvindo todas aquelas maravilhas, como sabiam o motivo da sua origem, de que o Espírito Santo fora solicitado em 1946 no congresso Internacional Missionário Protestante, tiveram medo das autoridades Belgas e expulsaram o Dirigente senhor Simão Gonçalves Toco e os seus adeptos da sua Igreja à 09 de Setembro de 1949.

PRISÃO DO DIRIGENTE E SEUS ADEPTOS

 

Devido a acção muito forte do Espírito Santo naquela cidade (ex- Leopoldville), três meses depois, as autoridades Belgas foram, em 22 de Outubro de 1949, directamente a rua Mayenge, no quintal nº 159, onde o Dirigente morava e descera o Espírito, prende-lo com mais 100 Angolanos e mais tarde cerca de 3.000 foram todos postos na cadeia  de Ofiltra onde em 22 de Novembro de 1949, o Dirigente recebe a sentença de que ele e seu primeiro grupo haviam de lá ficar dois meses e 15 dias, quer dizer, de 22 de Outubro de 1949 a 7 de Janeiro de 1950, data em que ele seria expulso da cidade da ex-Leopoldville à Angola juntamente com o seu primeiro grupo composto de 82 pessoas como diante se verá.


Em 23 de Novembro de 1949, na cadeia, o Dirigente informa aos Mais Velhos Mavembo Sebastião, Mankota André e Makwikwila Manuel da sentença do Governo Colonial Belga e ordena a instituição do 1º grupo de 12 Mais Velhos.


 

EXPULSÃO DOS TOKOÍSTAS DO EX-CONGO BELGA


 

Aos 9 de Janeiro de 1950 o Dirigente é expulso à Angola juntamente com um grupo composto de 82 pessoas e posteriormente são expulsos mais outros grupos, de acordo com o seguinte despachos do Governo Colonial Belga, datado de 8 de Dezembro de 1949 que se transcreve:

 

“Atendendo a que os indígenas originários de Angola, cujos nomes a seguir se indicam, praticam e manifestam o desejo de continuar a praticar os ritos de uma doutrina mística-religiosa hierarquizada, pregando uma ordem nova que sob o reino de um novo Cristo derrubará as autoridades e os poderes actuais para tomar o seu lugar e fazer reinar a justiça;


“Entendendo a que estas práticas são de natureza a perturbar profundamente a tranquilidade e a ordem pública, sobretudo na cidade indígena de Leopoldville, cujo volume das populações permitiria a extensão extremamente rápida e perigosa destas doutrinas subversivas;


“Atendendo a que se verifica que este movimento mistico-religioso apresenta afinidade evidente com as doutrinas espalhadas pela Associação ´Watch Tower’, e que se provou que o seu chefe, Simão Gonçalves Toco, está enfeudado a esta Associação como se concluí na sua correspondência com a sede de Watch Tower em  Nova York;

“São expulsos do Território da Colónia do Congo, que deverão deixar num prazo de 8 dias, a contar a data de assinatura deste despacho.”

 

 


Archivos

Ultimos Posts