Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Uíge melhora fornecimento de água e energia eléctrica

Publicado por Muana Damba activado 10 Abril 2016, 22:31pm

Etiquetas: #Notícias do Uíge

Fotografia: Mavitidi Mulaza | Uíge
Fotografia: Mavitidi Mulaza | Uíge

Por António Capitao

Vários projectos de expansão das redes de distribuição de energia eléctrica e água potável estão em execução desde 2013 em várias aldeias, comunas, municípios e na sede provincial do Uíge.

O relatório apresentado pelo director provincial da Energia e Águas, Mendes Domingos, referente aos progressos registados através dos programas “Água para Todos”, de Investimentos Públicos e de Combate à Fome e à Pobreza, indica que grande parte da população do Uíge tem acesso a electricidade e consome água potável.

Mendes Domingos disse que a instalação da nova rede de distribuição de água à cidade do Uíge, com um prazo de vida útil de 20 anos, que de início previa 120 quilómetros de tubagens, com 7.400 ligações domiciliárias, foi alargado depois para 136,56 quilómetros e passa agora a ter 9.400 ramificações para as moradias e agora a previsão é de que a rede atinja os 153 quilómetros para dar maior cobertura à cidade.

De acordo com o contrato de empreitada firmado com a empresa TSE, Mendes Domingos disse que a primeira fase do projecto terminou em Novembro do ano passado e foram colocados 149,47 quilómetros de tubagem, o que corresponde a 109,45 por cento do previsto.

A obra custou aos cofres do Estado 1.02 mil milhões de kwanzas investidos na colocação de tubos do tipo PEAD, SDR 17 e PE 100, com diâmetros que variam entre os 63 milímetros e 630 milímetros, de acordo as áreas de implantação, para dar maior durabilidade à rede e garantir maior qualidade do produto a ser distribuído às populações.

“Até finais de Novembro passado, foram colocados 149,47 quilómetros de tubagem, 9,45 por cento a mais do que a extensão prevista para os bairros Mbemba Ngango, Candombe, Popular, Dunga, Cemitério, Ilha, centro da cidade, Bangola, Quixicongo, Papelão, Kakiuia e Bem-Vindo”, disse Mendes Domingos.

Para o projecto, foram adoptados dois tipos de ligações, as domiciliárias, para casas devidamente estruturadas, e torneiras de jardim para moradias precárias. Estão executadas 5.860 ligações, 62,34 por cento das 9.400 previstas, e instalados 5.196 contadores.
A segunda fase do projecto de construção da nova rede de distribuição de água à cidade do Uíge, iniciada em Outubro de 2015 nos bairros Bungo, Candombe-Velho e Novo, Sanza, Bem-Vindo, Mongualhema, Quilala, 14 de Abril, Kilamba Kiaxi, Catapa, Pedreira, Ana Paula e Papelão, prevê instalar mais 110 quilómetros de tubos com diâmetros entre 63 milímetros e 125 milímetros, dos quais 1,306 já foram implantados.

Os trabalhos, com um custo de 737.6 milhões de kwanzas, permitem o estabelecimento de seis mil ligações domiciliárias e colocar quatro mil torneiras de jardim, num total de dez mil novas ramificações tendo já sido instaladas 83 torneiras de jardim e 98 contadores.

Água nos municípios

Para as sedes municipais, comunais e aldeias, Mendes Domingos disse que foram construídos pequenos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água para permitir que os habitantes destas localidades deixem de consumir água dos rios e cacimbas.
Ao todo, vão ser construídos 152 pequenos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água em algumas aldeias, no âmbito de um projecto do Governo central avaliado em 39.26 milhões de dólares. Deste número, 20 já estão concluídos e quatro encontram-se em fase conclusiva.

No município do Uíge, foram construídos dois sistemas de captação, tratamento e distribuição de água nas aldeias Quibianga e Quilomosso. No Negage, os sistemas foram instalados nas localidades de Quindinga, Quindando, Cangundo e Pumba, enquanto no município do Puri as populações das aldeias Quinvuta, Quimuinga e Malundo-Cassumna foram as grandes beneficiárias.

Em Maquela do Zombo foram construídos sistemas de abastecimento de água em Mbanza Nsosso, Cuximane, Quidia, Quimbata, Malele, Béu e Quitala. No município do Songo, as acções de construção de sistemas de água foram direccionadas às localidades do Denga e Kimalalu. As populações de Caindo e Soba Nanga, município da Damba, assim como de algumas localidades dos municípios do Bembe, Quitexe e Mucaba já consomem água potável.

O programa de abastecimento de água às sedes municipais é um projecto nacional estruturante, que abrange 132 municípios do país. Para a província do Uíge, foram seleccionados dez municípios. “Na vila de Maquela do Zombo, por exemplo, já está a ser executado o projecto de construção do sistema de captação, bombagem, tratamento, transporte e distribuição de água, cujas obras se encontram a 60 por cento da sua execução física”, referiu Mendes Domingos.

As sedes municipais de Maquela do Zombo, Milunga, Negage, Ambuíla, Bembe, Damba, Sanza Pombo, Quimbele, Quitexe e Songo são as localidades seleccionadas para a implementação do programa. Ao nível da província existem outros 32 projectos já aprovados, avaliados em 956.9 milhões de kwanzas. Pelo menos 12 projectos estão concluídos e outros encontram-se paralisados devido à actual conjuntura económica do país.

No âmbito do Programa de Combate à Fome e à Pobreza, as administrações municipais de Ambuíla, Bembe, Negage, Puri e Songo construíram 36 chafarizes, quatro furos artesianos e oito lavandarias comunitárias. Estas acções permitiram que mais de 360 mil consumidores beneficiem de água potável, cujos sistemas foram colocados próximos das suas residências.

Energia eléctrica

O fornecimento de energia eléctrica à província do Uíge é assegurado por duas fontes hidroeléctricas, Lukixe 1 e a estação do Kijima, que recebe corrente eléctrica proveniente da barragem hidroeléctrica de Capanda, na província de Malanje, além de centrais térmicas instaladas na cidade do Uíge e vilas municipais.

A estação do Kijima recebe cerca de 40 megawatts, mas apenas 13,75 são consumidos pelos habitantes do município do Uíge. Esta linha também permitiu construir estações eléctricas no Negage, com 12 megawatts, e em Maquela do Zombo, com 32 megawatts.
Calcula-se que existam, no Uíge, 29.185 consumidores, entre domésticos e de média tensão. Durante o terceiro trimestre de 2015, a Empresa Nacional de Distribuição de Energia (ENDE) arrecadou 92.3 milhões de kwanzas dos 119.3 milhões de facturas cobradas, o equivalente a 73,95 por cento.

As centrais térmicas instaladas nos demais municípios totalizam 14.064 consumidores. Dos principais constrangimentos no sector da Energia e Águas no Uíge constam a falta de técnicos especializados, insuficiência de recursos financeiros, falta de meios de transporte e o garimpo e venda de água não tratada.

Via JA

Archivos

Ultimos Posts