Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Proclamadas cooperativas do ramo das Pescas

Publicado por Muana Damba activado 10 Abril 2016, 22:11pm

Etiquetas: #Notícias do Uíge

Florência Mawete Filho, da Empresa Osmats Lda, que dedica também a piscicultura na Comuna de Kibokolo, município do Zombo. Imagem de arquivo.

Florência Mawete Filho, da Empresa Osmats Lda, que dedica também a piscicultura na Comuna de Kibokolo, município do Zombo. Imagem de arquivo.

Uíge - A Cooperativa das mulheres Processadoras e Vendedoras de Peixe(COPROVEPU) e a dos Aquicultores do Uíge (CAU-RL), foram sexta-feira proclamadas no Complexo Turístico cidade Mawete, com oobjectivo de impulsionar a actividade do sector pesqueiro na província e contribuir na diversificação da economia.

O acto foi presidido pelo Director Nacional da Pesca Artesanal e Aquicultura, Nkosi Luyeye, em representação da Ministra das Pescas, que na ocasião realçou a importância das cooperativas no desenvolvimento da economia e melhoramento das condições de vida da população.

O responsável garantiu ainda o apoio institucional para o desenvolvimento e cooperativismo no domínio da aquicultura.

Na oportunidade foram empossados para o Conselho de direcção da Cooperativa dos Aquicultores do Uíge, David Toto, da Sociedade Agrícola e Comercial Kilombo, que ocupa o cargo de Presidente, Florência Mawete Filho, da Empresa Osmats Lda, que é a vice-presidente, enquanto José Jones, da fazenda Zabuba, é o vogal.

Como presidente da Assembleia Geral ficou José Bento Divuila, das Organizações Divuila Lda, o vice-presidente é Kamanimoko Lusaki Cristo, da Sociedade Jeremias e Cristo, como secretário tomou posse Mputo Maiomona Pedro, da empresa com o mesmo nome, e para vogal foi empossado Hilídio Baltazar Francisco, das Organizações Manguiambi Lda.

No conselho Fiscal da mesma cooperativa está como presidente, João Baptista Purgante, da Fazendas Maindo, como vice-presidente, Afonso Bissaca, da Loja com o mesmo nome, tendo como vogais, Núria João e Tekadiomona das Empresas NILJ e organizações Tekanzu.

Já a Cooperativa de mulheres Processadoras e Vendedoras de Peixe, tem no Conselho de Direcção, Adelaide Feliciano como presidente, sendo Teresa Lourenço, a vice-presidente, a secretária é Inês da Conceição e Santa Miguel é a vogal.

A mesa de Assembleia Geral da mesma organização tem como presidente, Maria Manuel Toto, a vice-presidente é Juliana Emília, a secretária é Filomena Paulo Miguel, enquanto que o órgão fiscal é presidido por Lemba António, como vice-presidente foi empossada Teresa João Domingos, estando como secretária, Juliana Pedro Mota e Branca Feliciano é a vogal.

Na ocasião, o presidente da Câmara de Comércio, David Toto, fez saber que o processo da criação das cooperativas iniciado em Janeiro transacto visou materializar as recomendações do Fórum da Mulher Rural no âmbito da diversificação da economia.

Garantiu que a constituição das cooperativas abrirá o percurso para a criação de outros sub-sectores de interligação como plataforma de suporte, tal como a fábrica de produção de alevíneos e de alimentos, outra de processamento e congelação, bem como a logística de transportes e distribuição.

Na sua mensagem no acto, a presidente do Conselho directivo das mulheres da Cooperativa de Processadoras e Vendedoras de Peixe, Adelaide Feliciano, garantiu que a organização, constituída por 60 mulheres, todas chefes de famílias, servirá de plataforma para distribuição e logística dos produtos de aquicultura, bem como para aumentar a renda das cooperadoras e melhorar as condições de vida das famílias.

O vice-governador para o Sector Económico, Carlos Mendes Samba, que representou o governador da província, Paulo Pombolo, manifestou a sua satisfação pela iniciativa e garantiu que as organizações vão contribuir para minorar a carência que a população enfrenta neste domínio.

Participaram do acto, membros do governo da província, representantes da sociedade civil e das 14 empresas que compõem as cooperativas.

Via Angop

Archivos

Ultimos Posts