Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Vrackichakiri Abelardo, o poêta do Uíge.

Publicado por Muana Damba activado 9 Marzo 2015, 17:25pm

Etiquetas: #Cultura

Vrackichakiri Abelardo, poeta da terra com sabor do café
Vrackichakiri Abelardo, poeta da terra com sabor do café

Vrackichakiri Abelardo é heterónimo literário de Abelardo Alberto Sonhi Domingos, escritor, poeta, contista e presidente do Viv´Arte do Uíge, nasceu no Bairro da Madeira, Municipio da Maianga, Provincia de Luanda em 23 de Abril de 1990. É estudante de Língua Portuguesa no Instituto Superior de Ciência de Educação ISCED-Uíge.




É membro efectivo e co-fundador da Associação Provincial de Teatro do Uíge (APTU), onde exerce o cargo de Coordenador para análise de textos literários e obras teatrais, membro e fundador do Movimento Literário Viv′Arte do Uige,

É considerado (pai) agitador e inpulsonista da literatura Angolana/Uígense, pensador contemporâneo uigense, apresentador da rúbrica "sugestão de leitura" na Rádio-Uíge, tem poemas publicados na revista literária Brasileira Òmnira, desde a 5ª, 6ª e 7ª edições.

Está sempre envolvida em questões relacionadas às suas áreas de actuação e actividades filantrópica, conta historias nas crianças da OPA, Organização dos Pioneiros Angolanos, palestrante e coordenador de eventos literários e culturais.

Formado em liderança associativismo juvenil promovido pelo Conselho Provincial da Juventude CPJ, participou no III Volume da Antologia Brasileira Sensações Face Book e na Antologia Uíge a Renascer “Bagos Mágicos”, projecto que o Movimento Viv´Arte levou a cabo.

Tem uma obra no mercado Cicatrizes do Silêncio.Tendo feito formação de actor no grupo teatral Henriques Artes em abril de 2010, que posteriormente passou a ser actor do grupo
teatral "Kamba diame", participou no seminário que decorreu na União dos Escritores Angolanos, que teve como tema Governação e Género em 14 de Dezembro de 2011.

No prefácio do livro "CICATRIZES DO SILÊNCIO", o jornalista, escritor e editor da revista Òmnira, do Brazil, Sr. Roberto Leal, escreveu: - " A poetica Angolana de Vrackichakiri Abelardo é algo de novo, inovador, é uma mistura é um jogo de palavras, um bailado de dialetos e linguagens regionais que traçam um perfil de um gingado que descarrega a sua energia nos grandes poetas que Angola já mostrou ao mundo, a exemplo de Agostinho Neto, Pepetela e Jorge Macedo, dentre tantos outros. É como Cicatrizar do Silêncio solta o seu grito para que o mundo acorde e viva esta história de amor e patriotismo que abraça o seu povo.


É como se quisesse cicsatrizar as feridas de mãe áfrica, costurar as fedas do sofrimento, calar o clamor sofrido do seu povo e soltar o grito para qubrar o silêncio de anos de escravidão de
pobreza, de luta e de consequêntes vitorias vitórias e conquistas também… batalhas vencidas
a sangue derramado, às vezes por um amor explicitado nas armas e exposto aos filhos
perdidos para uma guerra declarada em busca de uma independencia nem tanto cansada, mas vivida, conquistada e compartilhada com aqueles que deram a sua vida pela sua negra Angola.


Vrackichakiri (soa bem este nome) tem uma intectualidade em completo estado de lapidação,
transformando brutos versos em diamantes repletos de humildade, amor e sedento por
mudanças positivas para que possa ver brilhar essa angolanidade desconhecida e que precisa
ser adotada pelos ventos que carregam as boas mensagens das minas e a negritude do
petroleo e da recostrução da cidadania fertil que a cada cidadão da África deva pertencer a sua cultura a sua poesia e a sua arte de conversar com o mundo lá fora. Sua poética é sinónimo de conquista, de reparação e de paz. E antes de qualquer coisa: é poesia, são versos, é africanidade a flor da pele e é a cor da mais pura cumplicidade patriótica.


A filosofia se faz prsente, de maneira a mostrar a intelectualidade nos versos cadenciadamente
negros e cobertos de uma liberdade historica, visando o resgate da trajectoria vitoriosa
incorporada ao cotidiano. De quem tem na sua verdadeira identidade uma angolaficanidade
retratada pelas mensagens filopoéticas do fazedor de versos do Uíge, aquele que também ama."

Muana Damba

Vrackichakiri Abelardo participa também no Movimento Viv´Arte

Vrackichakiri Abelardo participa também no Movimento Viv´Arte

Archivos

Ultimos Posts