Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Uíge forma talentos

Publicado por Muana Damba activado 18 Diciembre 2014, 01:05am

Etiquetas: #Notícias do Uíge

Uíge forma talentos

Por José Bula e Valter Gomes

Teresa Domingos subiu ao palco do Centro São João Calábria “Picoli” e cantou para o público que assistia à cerimónia de encerramento do primeiro Curso de Música organizado no Uíge pela Escola Massoxi Lança e Produz.

Quem a viu e ouviu cantar “Mulher Bacongo”, tema da sua autoria, percebeu logo que a jovem artista amadureceu muito. Apesar de ser já considerada uma referência da música na província e conhecer os meandros do palco há mais de oito anos.
A cantora representou a província do Uíge no Fenacult e foi homenageada na Expo Uíge’2014 pelo Governo Provincial. Mas inscreveu-se no curso porque sentiu a necessidade de aprender mais sobre a música. Mal ouviu o anúncio de abertura dos cursos de canto, guitarra e piano, que funcionam no Museu Etnográfico do Congo, foi logo inscrever-se. Durante cinco meses a­prendeu a dominar as técnicas de canto e a disciplinar a voz, além de conhecer os estilos musicais que melhor se ajustam ao seu timbre e capacidade vocal.
“Foi com grande satisfação que respondi prontamente ao anúncio da escola. Valeu a pena frequentar o curso de Canto Moderno porque aperfeiçoei melhor as técnicas de canto. Hoje sinto-me mais segura no palco. Também descobri a minha capacidade vocal e sei melhor do que nunca o que eu quero e posso fazer dentro do campo musical”, disse.
Teresa Domingos acrescentando que “na escola aprendemos de tudo um pouco, sobretudo a maneira como um cantor deve actuar no palco, o posicionamento e os movimentos que deve ou não fazer durante uma actuação pública”.
A cantora entrou na vida artística há oito anos, mas reconhece que lhe faltava aprimorar as técnicas. Tem um disco quase pronto com quatro faixas musicais. Os temas são cantados no estilo kizomba, semba e kilapanga, e interpretadas em português e quicongo.

Dinis e a guitarra

Dinis Fernando Macotilo, de 25 anos, realizou o sonho de aprender a tocar guitarra. O jovem manuseia com arte e magia um dos mais populares instrumentos musicais. “No início da formação não sabia quase nada, mas hoje toco muito bem a guitarra e estou pronto para integrar qualquer banda musical ou produzir as minhas próprias músicas”, disse. Por falta de centros de formação musical muitos jovens desistiram do sonho de se tornarem músicos. Dinis conseguiu graças às aulas no Museu Etnográfico do Congo.
Tocar piano é um prazer para Afonso Moisés, jovem de 23 anos. O maestro do grupo coral da Igreja Baptista Salta Terra gosta de música religiosa e pensa lançar nos próximos dias a sua primeira obra discográfica, com temas interpretados em português, quicongo e umbundo. “Estou feliz porque aprendi a tocar melhor e a ler pautas musicais. Agora sinto-me preparado e motivado para continuar a trabalhar no meu projecto musical. Sinto que mais cedo ou mais tarde vou ver o meu sonho tornar-se realidade”, disse Afonso.

Cantor destacado

Considerado como um dos mais destacados do curso de canto, Zacarias Kuta Joaquim teve direito ao merecido diploma de mérito. O jovem canta e encanta. Elogiou a forma como o professor Massoxi transmitiu com paciência e profissionalismo os seus conhecimentos aos alunos, que durante todo curso se manifestaram ávidos de aprender tudo sobre a música.
“A música é a arte de combinar os sons para que produzam efeitos agradáveis ao ouvido. Antigamente cantava apenas por cantar, mas agora canto com técnica e rigor”, disse o novo cantor, que promete grandes espectáculos no futuro.
Zacarias Joaquim promete lançar um CD com dez faixas musicais nos próximos dias. Revelou que a aposta recai nos estilos zuk, kizomba e r&b, cujos temas são todos interpretados em português.

Artistas formados

Ao todo, 61 jovens formados, 14 na especialidade de guitarra, 36 de canto e 11 no curso de piano.
Todos foram devidamente pre­parados com ferramentas e técnicas que lhes permitem compor e produzir todos os géneros musicais.
No acto de encerramento os recém-formados demonstraram na prática tudo o que aprenderam durante os cinco meses de aulas. Interpretaram várias músicas produzidas ao longo da formação e outras já conhecidas. A formação teve o apoio directo do Governo Provincial do Uíge, através da Direcção Provincial da Cultura.
O responsável da escola de música, Massoxi Mariano Gamboa, disse que a formação marca o início de uma nova etapa dos jovens artistas que pretendem ingressar no mundo da música.
Massoxi Gamboa disse que a sua instituição tem como principal aposta descobrir e desenvolver talentos musicais, sobretudo na arte de cantar, de tocar o piano e a guitarra. “A música conserva, fortalece e demonstra os valores culturais de uma determinada região. Estamos satisfeitos por concluirmos com êxito os cursos, nas especialidades de canto, piano e guitarra. Mas pedimos a colaboração de todos com vista à formação dos jovens talentosos”, disse.
Ao encerrar o curso, a vice-governadora para o Sector Político e Social, Maria Fernandes da Silva, lembrou que o Uíge é uma região de grande riqueza cultural, que se traduz nos seus hábitos e costumes.
“Aqui a música é uma prática de comunicação cultural. Através dela, os artistas transmitem com profundeza o que vem da sua alma”, referiu.
O Governo Provincial tem trabalhado com os sectores ligados às artes culturais para garantir as condições técnicas aos artistas. Maria da Silva destacou a inauguração do Estúdio Discográfico Nerú, totalmente apetrechado com equipamentos de alta tecnologia musical, onde os jovens vão produzir as suas músicas

Instituto de Artes

A vice-governadora reiterou o compromisso do Governo Provincial continuar a trabalhar na criação de condições para apoiar as actividades desenvolvidas pelos artistas locais. Para tal, encorajou os artistas a redobrarem esforços com vista à elevação da posição cultural da província no contexto nacional e internacional.
“Vamos trabalhar com o sector da Cultura para que nos próximos dias seja elaborado um projecto para a construção de um Instituto de Cultura e Artes na província. O objectivo é formar jovens talentosos nos diversos domínios artísticos”, disse a vice-governadora. O director provincial da Cultura, José Caricoco Cussiquina, anunciou que, no âmbito da política nacional da cultura, o Governo Provincial realiza várias acções culturais que visam a descoberta e o desenvolvimento de talentos no seio da juventude e o resgate dos valores culturais da região.
“Isso para nós representa o início de um trabalho amplo que queremos desenvolver a partir do próximo ano, uma vez que a província do Uíge é detentora de jovens valores e talentos nos domínios da música e das outras artes”, afirmou José Caricoco.
A construção do Estúdio Discográfico Nerú, no Uíge, é uma das apostas no apoio aos músicos locais, uma vez que não podem existir estúdios sem músicos, nem músicos sem estúdios para a gravação das suas obras.
Presenciaram a cerimónia de encerramento do primeiro Curso de Música, membros do Governo Provincial, entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais, músicos, actores e outros convidados.
Fundada em 2002, em Luanda, a Escola Massoxi Lança e Produz é parceira do Ministério da Cultura na formação de músicos angolanos.

Via JA

Archivos

Ultimos Posts