Overblog
Edit post Seguir este blog Administration + Create my blog

Portal da Damba e da História do Kongo

Portal da Damba e da História do Kongo

Página de informação geral do Município da Damba e da história do Kongo


Hospital Geral do Uíge tem central de oxigénio

Publicado por Muana Damba activado 12 Junio 2014, 18:20pm

Etiquetas: #Notícias do Uíge

Por Joaquim Júnior | Uíge

Uma central de canalização de oxigénio para socorrer doentes em situação de paragem cardíaca ou com necessidade de reanimação está a ser instalada no Hospital Geral do Uíge, unidade de saúde que recebe obras de reabilitação e ampliação há mais de dois anos.

Miji Ernesto, director-geral do hospital, disse ao Jornal de Angola que a colocação de gases medicinais complementa os trabalhos de remodelação dos edifícios, que vão albergar os serviços da Maternidade e de Ortopedia, que devem entrar em funcionamento ainda este ano.


“O centro de gases medicinais tem como objectivo fazer chegar o oxigénio directamente às camas dos doentes que internam no hospital e que no momento necessitem de a­poio respiratório, cuidados que em alguns casos demoravam horas ou semanas para que o doente beneficiasse deste tipo de serviço”, referiu.


Os tubos que ligam a central de oxigénio passam pelas paredes dos dois blocos já reabilitados e chegam a cada uma das camas das salas de internamento.
Mieji Ernesto explicou que os doentes submetidos aos cuidados intensivos recebem com atraso os apoios de vivificação respiratória porque o processo é feito através de concentradores eléctricos e botijas de oxigénio,equipamentos que não correspondem às necessidades.


“Neste momento, o hospital utiliza botijas de oxigénios e concentradores, que são aparelhos que se ligam à energia e produzem o oxigénio directo para o paciente”, disse o director-geral dohospital, para quem o novo projecto tem maior sustentabilidade porque pode produzir e direccionar, em simultâneo, quantidades de oxigénio para um número considerável de doentes com patologias diversas, enquanto as botijas são arrastadas de um lado para outro ao encontro do paciente.


Um dos blocos do Hospital Geral do Uíge já reabilitado para albergar os serviços de Maternidade dispõe agora de melhores condições de a­tendimento. Outras áreas já requalificadas são os serviços de Ortopedia e Radiologia.


Miji Ernesto disse que a reabilitação do hospital inclui o apetrechamento de todos os blocos reabilitados, com camas, colchões, equipamentos de apoio, laboratórios, a­parelhos modernos de Raios-X e Ecografia. Referiu que os serviços de Imagiologia vão dispor de equipamentos de última geração e laboratórios de maior capacidade.


Há serviços que não funcionam interligados, dificultando assim a movimentação do pessoal em serviço, sobretudo na época das chuvas. O director-geral do Hospital Geral do Uíge explicou que o projecto prevê também a interligação dos serviços intermédios através da construção de corredores que permitam a movimentação do pessoal técnico e pacientes de um bloco para outro.


Miji Ernesto destacou as ligações que vão ser feitas na Pediatria e às demais áreas de funcionamento do hospital, e da Maternidade ao Banco de Urgência e Bloco Operatório.

Novo bloco cirúrgico

Construído de raiz, o novo bloco cirúrgico tem as condições criadas para entrar em funcionamento nos próximos dias, depois de ter sido apetrechado com equipamentos modernos de Cirurgia, Imagiologia e Cuidados Intensivos.


Concluída a construção e o apetrechamento, falta apenas ensaiar os equipamentos. Além das salas de operações, a nova área de serviço do hospital possui um laboratório de emergência, aparelhos de radiologia, mamografia e ecografia, e salas de internamento com capacidade de 170 camas.


A entrada em funcionamento deste bloco “depende apenas de alguns procedimentos administrativos e técnicos. Esta subunidade sanitária vem reforçar a capacidade de investigação e tratamento médico em melhores condições, para fazer face às exigências actuais”, disse.


Outro serviço que há muito fazia falta no hospital é a Central de Esterilização, que vai funcionar dentro do novo bloco cirúrgico.Com a abertura do novo bloco, o Hospital Geral do Uíge passa de 700 para 870 camas.


O director referiu que, enquanto decorrem os trabalhos de alargamento, melhoria e integração de novos equipamentos e serviços hospitalares, a unidade aposta na melhoria do processo contínuo de atendimento ao público, passando por uma boa gestão e capacitação dos recursos humanos existentes.


“Todos os dias queremos fazer melhor e estamos a trabalhar para melhorar, isso é que dá motivação de impormos maior rigor e dinamismo, enquadrando as pessoas numa disciplina de trabalho institucional, cujos resultados já são notáveis. Hoje, todos os funcionários estão empenhados na dignificação da instituição”, sublinhou.


O hospital funciona com 40 médicos e 350 enfermeiros, incluindo os técnicos de diagnóstico e terapêuticos, e 42 trabalhadores na área administrativa. Miji Ernesto afirma que, com a remodelação, vai ser necessário um corpo clínico constituído por 80 médicos, 700 enfermeiros, 120 funcionários administrativos e mais de 200 para os serviços de apoio. O director pediu a colaboração de todos na conservação do património e manutenção dos serviços que a instituição põe à disposição do público.

Serviços do utente

O director do Hospital Geral do Uíge anunciou a criação, dentro de dias, dos “Serviços do Utente”, que vão atender às preocupações apresentadas pelos cidadãos.


Miji Ernesto disse ao Jornal de Angola que o funcionamento dos Serviços do Utente vai facilitar a interacção dos funcionários da unidade hospitalar com a população, responder às preocupações que inquietam os pacientes e seus acompanhantes, e ajudar a direcção do hospital a melhorar a relação com todos os usuários dos serviços de saúde disponíveis na maior unidade hospitalar da província.


De acordo com o médico, além da reabilitação física, a mudança do perfil hospitalar depende da sua organização. “Queremos acabar com as filas de doentes nas consultas e no Banco de Urgência, satisfazer os anseios dos pacientes e melhorar a comunicação com os familiares dos mesmos”, disse. Acrescentou que enquanto decorrem as obras de reabilitação, a direção do hospital procura melhorar os serviços que estão a funcionar em edifícios adaptados, para que depois das obras o hospital esteja à altura dos objectivos preconizados. Aquele responsável adiantou que está a ser construído um alpendre com capacidade para albergar mais de 300 pessoas, para atender os familiares e amigos dos pacientes internados.


O hospital funciona com energia e água da rede pública, mas, para evitar as falhas no abastecimento, o hospital beneficiou do apoio do Governo Provincial para a abertura de furos artesianos com capacidade de bombear cinco mil litros de água por hora. O exercício agora passa pela canalização do líquido a todas as áreas de funcionamento.
A maior unidade hospitalar da província dispõe de uma central térmica, que garante o funcionamento de todos os seus serviços em caso de falha da energia da rede pública. O Hospital Geral do Uíge possui de momento serviços de Pediatria, Cardiologia, Neurologia, Centro Nutricional Terapêutico, Cirurgia Geral, Urologia, Ortopedia, Estomatologia, Homologia, Imagiologia, Laboratórios de A­nálises Clínicas, Maternidade, Radiologia e Ecografia.

Via Jornal de Angola

Hospital Geral do Uíge tem central de oxigénio

Archivos

Ultimos Posts